Riscos do BYOD no mundo corporativo

Conheça alguns riscos do programa BYOD

Imagem: Reprodução/ Corbis

A prática do Bring Your Own Device (BYOD) na maioria das empresas busca flexibilizar o trabalho e facilitar a interação entre o colaborador e a empresa. No entanto, isto não vem acontecendo nas empresas que já adotaram a nova tendência, segundo pesquisa da Gartner.

O que é o BYOD?

O sistema representa a possibilidade dos funcionários usarem seus tablets, smartphones, laptops e pendrives durante suas rotinas corporativas. O BYOD é uma tendência tecnológica e, para grandes empresas, inevitável a longo prazo.

Contudo,  especialistas consideram que as telecomunicações ainda não se adaptaram à realidade do BYOD e que as organizações devem estar cientes dos riscos de se abraçar essa ideia – principalmente em relação à segurança na transmissão de informações sigilosas.

Alguns benefícios podem ser claramente percebidos, como o aumento de produtividade e a melhoria no custo-benefício para as empresas. Mesmo assim, permitir que os empregados adquiram seus próprios dispositivos para uso pessoal e profissional pode trazer alguns riscos.

Os riscos

Os programas BYOD podem esconder alguns riscos que podem influenciar na produtividade dos profissionais e possibilitar vazamento de informações. Confira algumas dessas ameaças e como podem ser evitadas:

1. Queda de produtividade e velocidade de banda larga. Jogos online, vídeos, mídias sociais e outros sites e aplicativos podem consumir o tempo e concentração do usuário. Para evitar o desvio de atenção dos colaboradores, procure um sistema de Internet que bloqueie determinados endereços na web, como redes sociais e sites de entretenimento;

2. Vazamento de dados. Os dispositivos móveis são, invariavelmente, pontos de armazenamento inseguros e é possível transportar informações confidenciais e outros dados por eles. Portanto, a sincronização de aparelhos pessoais com a rede empresarial deve ser feita com supervisão de um profissional de TI devidamente habilitado;

3. Problemas com suporte técnico. Sem o controle total dos dispositivos acessando sistemas, os aborrecimentos aparecem com mais frequência e devem ser evitados com o estabelecimento de regras para o uso de dispositivos móveis;

4. A partir do momento em que um dispositivo entra em contato com a rede de uma organização, traz junto dele todas as suas vulnerabilidades. Aplicativos e programas invasores e outros tipos de malware podem aparecer e invadir a rede, por exemplo. Assim, estabeleça políticas de segurança mais restritas e invista em programas de proteção digital, como antivírus e firewalls.

Apesar de todos os benefícios trazidos pela evolução da mobilidade, o mundo corporativo deverá estar apto a equilibrar o benefício de uma mão de obra “autossuficiente” em termos tecnológicos com os riscos da saída não supervisionada de patrimônio da empresa. Por isso, políticas de segurança e sistemas de monitoramento são essenciais.

Você pode encontrar tudo isso, e muito mais, no Futurecom Ano 15, o maior evento de Telecomunicação, TI e Internet da América Latina. Confira a lista completa de painéis.

Fontes: Uol, What is, Gartner, Untangle.

Deixar uma Resposta